O Dia de Proteção às Florestas é comemorado anualmente em 17 de julho, data
que também marca o “Dia do Curupira”, cujo personagem personifica misticamente o
protetor das Florestas contra degradadores criminosos.

Atacar as Florestas significa atentar contra a vida do ser humano, visto que destrói
fontes de água doce e com elas, tanto a fauna quanto a flora são afetadas. O
desflorestamento fragiliza o solo, expondo-o à erosão, e também leva ao aumento da
temperatura, além de outras consequências negativas. Assim, também sofrem os
animais silvestres, pois muitos dependem das florestas para assegurar sua
sobrevivência.

A Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos em biodiversidade, em São Paulo
possui um índice de remanescentes de 32,6%, segundo o Inventário Florestal (2020)
da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente. Entre as dezenas de Unidades de
Conservação, a vertente atlântica apresenta as melhores condições de cobertura
vegetal nativa e de áreas protegidas, com destaque para a Serra do Mar.

A Operação Curupira acontece nos dias 16 e 17, empregará mais de 1200 policiais
militares e 450 viaturas, entre quatro rodas, náuticas e drones, que realizarão o
policiamento ostensivo marítimo e terrestre com vistas aos infratores do Meio
Ambiente, sobretudo aqueles que põem em risco a Qualidade de Vida, Segurança e
Saúde Pública.

Além da ação operacional, marcará a data a participação da sociedade através da
campanha que será lançada nas redes sociais da Polícia Militar Ambiental, com o tema
“Polícia Militar Ambiental há 72 anos protegendo as Florestas”.

Fonte: Centro de Comunicação Social da Polícia Militar

Like